Tribunal Superior rejeita novamente acusação de abuso

Por falta de provas e evidências de perjúrio, Tribunal Superior de Los Angeles decide arquivar caso de abuso sexual infantil.

O Tribunal Superior de Los Angeles decidiu há duas semanas arquivar o caso do coreógrafo Wade Robson contra empresas de Michael Jackson e seu espólio.

A ação que era base do fraudulento documentário “Leaving Neverland”, dizia que as empresas MJJ Productions e MJJ Ventures, haviam sido “criadas para facilitar o abuso sexual de crianças por parte de Jackson”, e teriam colaborado para o suposto crime.

O magistrado Mark A. Young concluiu que as duas companhias não tinham obrigação legal de cuidar de Robson e ainda evidenciou inconsistências e evidências de perjúrio e ocultação de provas que no processo contra as empresas de Jackson.

Anteriormente, o caso movido por James Safechuck contra o Espólio de Jackson também foi rejeitado.

Wade Robson e James Safechuck não apenas processaram Jackson, mas participaram do documentário da HBO dirigido por Dan Reed, no qual alegaram abuso sexual anos após a morte de Jackson. Oprah Winfrey comprou a ideia, e conduziu entrevistas com eles permitindo que os homens alegassem acusações sem qualquer prova.

No dia 26 de abril de 2021 o tribunal decidiu ir contra eles, arquivando todos os relatos e provas fabricadas para tirar dinheiro dos herdeiros de Michael Jackson.

Fonte: MJBeats – Notícia reproduzida – todos os direitos ao autor são reservados.