Michael Jackson redefiniu o show do intervalo do Super Bowl

Rose Bowl, 31 de janeiro de 1993

Após anos de queda de audiência durante o intervalo do Super Bowl, a NFL, liga nacional de futebol americano, precisou tomar uma atitude para a edição de 1993.

Coube a Michael Jackson, o maior astro da época, a missão.

E foi histórico! Tão impactante que ele reinventou a atração e moldou o formato para sempre.

Michael apresentou um pocket show da turnê “Dangerous” que estava na estrada e a sua apresentação teve mais audiência do que a própria partida entre o Dallas Cowboys e Buffalo Bills, com pico de 93 milhões de espectadores.

Teve um pouco de tudo: truque de mágica, pirotecnia, moonwalk e emoção com todo o estádio fazendo um mosaico, além de um coral de crianças em “We Are The World”. Realmente espetacular.

Sempre nessa época do ano, essa performance revolucionária de Michael é lembrada como o marco inicial do evento e frequentemente citado como o maior show do intervalo de todos os tempos – apesar de todo avanço tecnológico a favor dos shows mais recentes.

Setlist:

  1. Jam
  2. Black Or White
  3. Billie Jean
  4. We Are The World (coral infantil)
  5. Heal The World

Relembre o show:

Icônico álbum “Dangerous” faz 30 anos

“Dangerous” foi o primeiro álbum produzido por Michael Jackson. Estrondoso sucesso que completou nessa sexta-feira, 26, exatos 30 anos de lançamento.

Curiosidades:
• Vendeu mais de 50 milhões de cópias;
• É o 5° álbum mais vendido da história e tem 4 top tens;
• Singles: Black or White, Remember The Time, In The Closet, Jam, Will You Be There, Give In To Me, Heal The World, Who Is It e Gone Too Soon.

29 anos do álbum “Dangerous”

O álbum “Dangerous” foi lançado em 26 de novembro de 1991.

Há 29 anos Michael Jackson lançava o seu oitavo álbum solo, “Dangerous”, um grande sucesso comercial que já ultrapassou a marca de 50 milhões de cópias mundialmente.

O seu primeiro single, “Black or White”, trouxe a maior estrela dos anos 80 novamente para primeira posição das paradas e gerou um grande impacto mundial. Além da temática da música, que foi uma resposta aos questionamentos da cor de sua pele (Michael tinha vitiligo e ainda não tinha revelado) e uma mensagem contra o preconceito, o seu revolucionário videoclipe estreiou o “morphing” (uma tecnologia inédita de computação gráfica) e teve audiência estimada de 500 milhões de pessoas no lançamento. No Brasil estreiou no programa dominical “Fantástico” da Rede Globo.

O álbum ainda teve outros singles de sucesso, como: “Remember The Time”, “In The Closet”, “Jam”, “Give In To Me” (com Slash), “Will You Be There” (tema do filme “FreeWilly”) e o hino “Heal The World”.

A “Dangerous World Tour” (de 1992 a 1993) teve todos os rendimentos doados para a instituição de caridade “Heal the World Foundation” criada pelo próprio Rei do Pop para ajudar crianças pobres ou doentes.

Relembre o álbum “Dangerous” no Spotify: