Michael Jackson redefiniu o show do intervalo do Super Bowl

Rose Bowl, 31 de janeiro de 1993

Após anos de queda de audiência durante o intervalo do Super Bowl, a NFL, liga nacional de futebol americano, precisou tomar uma atitude para a edição de 1993.

Coube a Michael Jackson, o maior astro da época, a missão.

E foi histórico! Tão impactante que ele reinventou a atração e moldou o formato para sempre.

Michael apresentou um pocket show da turnê “Dangerous” que estava na estrada e a sua apresentação teve mais audiência do que a própria partida entre o Dallas Cowboys e Buffalo Bills, com pico de 93 milhões de espectadores.

Teve um pouco de tudo: truque de mágica, pirotecnia, moonwalk e emoção com todo o estádio fazendo um mosaico, além de um coral de crianças em “We Are The World”. Realmente espetacular.

Sempre nessa época do ano, essa performance revolucionária de Michael é lembrada como o marco inicial do evento e frequentemente citado como o maior show do intervalo de todos os tempos – apesar de todo avanço tecnológico a favor dos shows mais recentes.

Setlist:

  1. Jam
  2. Black Or White
  3. Billie Jean
  4. We Are The World (coral infantil)
  5. Heal The World

Relembre o show: